Search
Close this search box.

Quais são as doenças autoimunes e como diagnosticá-las

Quais são as doenças autoimunes e como diagnosticá-las

Nutricionista esclarece todas as dúvidas sobre os males que fazem o corpo atacar a si mesmo.

As doenças autoimunes são um grupo de doenças distintas que têm como origem o fato do sistema imunológico passar a produzir anticorpos contra componentes do nosso próprio organismo. Por motivos variados e nem sempre esclarecidos, o nosso corpo começa a confundir suas próprias proteínas com agentes invasores, passando a atacá-las.

De acordo com a nutricionista Rita Novais, são doenças que atacam o sistema imunológico contra uma estrutura do próprio organismo, gerando uma resposta autoimune. Nosso sistema imunológico combate, como vírus e bactérias. As proteínas não digeridas são apresentadas para o nosso corpo como corpo estranho, desencadeando a doença autoimune.

A infertilidade pode ser causada por doença autoimune. Aproximadamente 75% das pessoas que sofrem de doenças autoimunes são mulheres, fator este que pode estar relacionado a diferença hormonal se comparado homens e mulheres.  O diagnóstico das patologias autoimunes é habitualmente feito com base no quadro clínico e na pesquisa de autoanticorpos no sangue FAN, que pode estar positivo em várias, mas não todas, doenças autoimunes, explica a nutricionista.

Quais são os principais sintomas?

Embora toda doença autoimune seja crônica, algumas pessoas apresentam sintomas mais leves, enquanto outras têm manifestações mais fortes. Os sinais e sintomas podem ser inespecíficos, como cansaço, febre baixa, desânimo, emagrecimento e mal-estar geral, eles vão variar de acordo com o órgão alvo.

Quais são as doenças autoimunes?

Temos mais de 120 doenças geradas por autoimunidade: diabetes, lúpus, esclerose múltipla, artrite, artrose, Alopecia areata, Anemia hemolítica autoimune, Doença de Addison, doença celíaca, doença de Cohn, Esofagite eosinofilia, retro colite, Tireoidite de Hashimoto, vitiligo, etc.

Como funciona o tratamento?

Geralmente são utilizados os corticoides, imunossupressores, podendo variar de acordo com o órgão atingido. Os corticoides são eficazes e ajudam a controlar a reação do organismo, mas seu uso crônico pode deixar o paciente vulnerável a infecções e ao ganho de peso.

O tratamento multidisciplinar com psicólogo, nutricionista, médico e terapias alternativas (bioressoncia quântica, detox quântico) faz toda a diferença na melhora do paciente.

Qual o papel do nutricionista no tratamento?

Realizar a reeducação alimentar, reequilibrar as carências nutricionais atrás da alimentação e prescrição de vitaminas, fitoterápicos e florais quânticos (caso haja necessidade), melhorar a digestão e absorção dos alimentos e tratar da flora intestinal de forma personalizada,

Solicitar a realização de testes de sensibilidades alimentares para identificar os alimentos na qual as proteínas não são digeridas de forma adequada ajuda na redução do processo inflamatório.

O acompanhamento nutricional deve realizado visando a individualidade do paciente e tratando da permeabilidade intestinal e o microbiota intestinal.

@nutricionista_ritanovais

Conheça nossas mídias sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/pirapopnoticias

Instagram: https://www.instagram.com/pirapop_noticias

WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/IbhgJV9OmuPGafDggyAZyx

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCrWfubY4QWA68LP_soBpLyg

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *